sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

11/10/2009 - Invasão Punk - Cesar Bar, Itaim paulista - Zona Leste de São Paulo.

DZK!
Aversão!
Amnésia Coletiva!

Salve, Salve cambada de malacabados! O ano acabou mas eu continuo insistindo nas resenhas atrasadas desse blog maldito! Mas conforme havia dito na postagem anterior, Alguns eventos realmente mereciam uma resenha completa e detalhada, simplesmente porque cada um deles foi um rolê foda e inesquecível em especial. E nada melhor do que este evento que vou falar agora para descrever uma verdadeira epopéia de um processo de oraganização de um evento no suburbio...

Lá pro mês de agosto mais ou menos, começaram os telefonemas vindos de Brasília direcionados ao meu amigo Douglas (Batera do Invasores de Cérebros):
- estamos na pilha de tocar aí bicho, arruma um som pra nóis ae... - Diziam os caras de Brasília.
Então, pensou gig pensou... Feio! Começaram então os corres para trazer os camaradas do Distrito Federal e Goiás para mandar um som pros vagabundos daqui: Encontros na banca de jornal do Douglas, Em bares do centro, vários telefonemas... Fazer onde esse som, porra? Pensamos no recém inaugurado na época Covil III meia 0 (Pirituba - Z/O)... Não deu certo. Pensamos então no Clube da Cidade (Barra Funda - Z/O), onde faríamos um puta fest com uma pá de banda pra encher o local que tem capacidade para 2.000 pessoas... e uns contatos bons para fazer o som lá... Massss... Enquanto sonhávamos o tempo passava. E agora? Onde fazer essa porra?

Eis que de repente um local bem próximo de mim e que já se tornou o maior templo Punk de SP (hangar que naaada!) estava de portas abertas e sem custo nenhum para nós, apenas o cansaço da correria das aparelhagens: Cesar Bar, no itaim paulista! Falei com o Cesar e é lógico que a ideia foi bem aceita... tem espaço legal, ambiente bacana e bem punk... só faltava os equipos. Alugar alguma coisa ou pagar transporte era certeza... além de alguns custos como um agradinho pros caras: Vão encarar 16 horas de van pra chegar aqui e não vão tomar umas brejas, comer uma comida realmente sólida? Nananinanão, Vamos meter um preço na entrada um pouco mais alto que o habitual porque ninguem merece organizar som e tomar prejuízo tirando o dinheiro que nem tem do proprio bolso pro baguio rolar e muito menos ninguem merece vir de tão longe pra ficar jogado apenas com a missão de tocar a seco e com a barriga vazia. Punk não é sinônimo de masoquismo, ao menos mínimas condições de recepção devemos proporcionar aos nossos amigos do cerrado.

Começou a divulgação e aproveitando o embalo do dia das crianças (uma data comercial sim, já ouvi todo tipo de antagonismo e blá blá blá possível - Mas as crianças não querem saber, pois frente a toda agitação da data na televisão e ao próprio valor sentimental agregado á esta data não é justo recusar um pedido de uma criança por causa de uma convicção política. A mesma coisa acontece no dia de hoje, o natal - Adulto nem se importa tanto, mas natal pra criança é Sagrado, e nessas horas não vale a pena ver uma criança carente chorando porque não ganhou um brinquedo porque o livro de num sei quem condena o capitalismo...), aproveitei o evento para arrecadar brinquedos que a princípio seriam doados á casa Naim, que fica na região de Taipas e é tocada pela instituição RELIGIOSA CATÓLICA Aliança de Misericórdia, que faz um trampo muito legal com moradores de rua e crianças carentes em várias partes da cidade - Desde fornecimento de refeições e banho a moradores de rua, até mesmo creches comunitárias em regiões carentes - caso da casa naim. E antes de criticar-me por escolher esta instituição para ajudar, com todo seu anti-cristismo, vai fazer alguma coisa por quem precisa, pois enquanto voce fala merda eles estão fazendo. Mas, como a adesão do pessoal foi baixa (cerca de 100 pessoas presentes no evento e 15 brinquedos arrecadados), não iria suprir a demanda de crianças da casa Naim e certamente somente algumas crianças seriam beneficiadas. Então, os Brinquedos foram direcionados ao nosso Amigo Lecão, da banda Amnésia Coletiva, de Jacareí (Vale do paraíba/SP), que tambem tocou no evento. Lecão todo ano faz durante o ano inteiro sons e encontros para arrecadar brinquedos para doar na época do natal ás crianças carentes de jacareí, e não é coisa de 20 ou 30 brinquedos não, mas ele consegue arrecadar cerca de 800 brinquedos ao longo do ano, coisa que não vejo em São Paulo faz tempo por parte dos punks desta Cidade. A maioria dos brinquedos ele consegue lá mesmo, porque lá a farinha é menos importante pros punks e uma ação de ajudar a quem precisa é valorizada ao máximo - Eita porra, tô com tudo hoje!

Chegou o dia!!! Acordando cedo podrão do rolê do dia anterior (garotos do suburbio e lixomania no hangar), lá vai eu encontrar o Douglas em... Cidade Tiradentes! É ZL que nem aqui no itaim, mas é loooonge viu? e 9 horas da manhã já estava lá, o encontro e vamos em direção á residência do cara que sinceramente salvou o evento: Vela, do Colisão Social. Emprestou a aparelhagem e ainda teve o saco de ficar lá na mesa de som atras do palco o tempo todo regulando tudo certinho pro som sair legal e ainda foi comigo na casa do Wagner do Jhaspion pra pegar os pedestais da bateria. E ele não é muleque não... pega esses punkinhos de 17 anos na flor da saúde pra te ajudar... vão nada! ele com seus 30 e poucos anos foi lá sem frescura e botou a mão na massa! Deixo registrado meus sinceros agradecimentos a esse cara que é PUNK mesmo! Chegamos então no bar por volta de umas 10 e meia da manhã com a kombi alugada para o transporte dos equipos (nada baratinho) e a galera de brasília chegou simultaneamente... começamos a arrumar as coisas enquanto a galera de Brasília relaxava tomando umas geladas na calçada do bar... Fomos ainda a um mercado próximo comprar uns macarrões, molho e mistura pra preparar o almoço pra galera que veio de Brasília. Alguns deles não aguentaram esperar e almoçaram num restaurante ao lado do bar. Mas alguns esperavam pelo rango e quando o mesmo saiu, foi bem aproveitado... Tiveram a oportunidade de provar do Delicioso macarrão da Cleide, esposa do dono do bar - O melhor macarrão de São paulo hahahah.

Chegava então a galera, as bandas, o pessoal da segurança (Cilene e sabugo) e começa então a barulheira por volta das 3 da tarde... Vamos resenhar as bandas agora, como de costume:

Cegos pelo Ódio: Foi a segunda apresentação da Banda, com uma formação diferente da primeira
mas com mais músicas próprias e um som mais bagaceira. O montanha foi pra batera e agora a destruição está garantida, o muleke que toca com raiva do instrumento viu rsrsrs... e como não poderia deixar de ser, varios covers do olho seco. Ainda não tinha muita gente mas as pessoas presentes agitaram bastante.

Faces do Caos: Diretamente do Distrito Federal, a banda apresentou um punk rock seco e direto, empolgando a galera presente e mostrando o porque de serem uma das maiores bandas da cena punk do DF, com mais de 10 anos de estrada, organizando gigs e fazendo o punk acontecer... Trouxeram até o bandeirão da banda, ocupando uma parede inteira do bar. E acima de tudo, já está no coração da galera daqui: pegaram varios contatos e até algumas camisetas da banda foram circulando entre a galera. Só ficaram devendo a minha hehehe.

Aversão: Outra banda do Distrito Federal, do grande parceiro Flávio, que chegou aqui um dia antes para curtir o Rolê do hangar 110 e outras andanças pela maldita cidade. Apresentou um Punk rock contagiante que empolgou a galera, apesar de algumas pessoas presentes ficarem meio assim de agitar, "porque era som que não conheciam"... Mas foda-se. mandaram muito bem.

Amnésia Coletiva: Diretamente de jacareí (minha segunda casa), a banda organizou van e trouxe uma galera de São josé dos campos e caçapava para curtir o rolê também. mais uma vez fizeram um show destruidor, mas aqui a galera não conhece muito o som e acabou ficando meio amuada. Mas mesmo assim o pogo comeu solto por parte da galera que veio junto deles e alguns punks daqui. Esta banda faz o punk acontecer no Vale do paraíba e merece todo o respeito. Não é a toa que iremos lançar um split da Pé sujus com eles daqui a uns meses.

Rebeldia: Do Jardim Ingá (Goiás) para o Itaim Paulista. Essa banda me surpreendeu pela qualidade do seu punk rock muito bem tocado que despertou uma grande roda de pogo e quem não pogou só ficava comentando "Orra que banda foda". Sem mais. Num preciso falar mais nada.

Suicídio Coletivo: Também do ingá, veio para cá para despejar um hardcore potente na galera, que aprovou o som dos caras. O vocalista tem uma grande presença e uma voz marcante, que dá o tom e o diferencial no som da banda. pena que eu moro tãão longe... queria ver essas bandas mais vezes.

DZK: A lenda viva do punk nacional volta com tudo ao cesar bar e não é preciso falar muita coisa sobre o show né: Quem tá fora quer entrar e quem tá dentro não sai. Clássicos da banda cantados em uníssono, microfone disputado, aglomeração na "pista" de pogo, calor infernal, povo suado e braços levantados acada refrão. Mais um show foda desta banda que tenho orgulho, pois apesar de ter quase 30 anos de existencia continua pelos suburbios sem frescura ou estrelismo nenhum.

Pé Sujus: Mais uma vez o chu atrasou um pouquinho e o Pé Sujus começou um pouco mais tarde do que deveria começar. E um fato do lado de fora chamou atenção de parte do Público, que adora ver uma desgraça acontecendo. Um amigo meu que atravessava a rua foi atropelado por um... Retrovisor de uma lotação - Ali é rua de estação de trem e ponto final de Lotação. Mas de resto, a galera que insistiu em ficar na Gig - um numero legal de pessoas, vespera de feriado né - agitou o nosso som sem parar, cantou junto... enfim, mais um show bom. Como integrante da banda digo que não foi um show dos melhores. Mas foi um show bom e agradável.


Saldo Final: Mais um som de casa cheia, Nenhuma treta, Um atropelado pelo retrovisor de lotação (ele passa bem e ta na ativa de novo), 15 brinquedos arrecadados, e um prejuizo de 50 reais do meu bolso e do bolso do Douglas (afinal de contas, boa parte das pessoas jura que não tem dinheiro pra entrar no som apesar de tomar altas cervejas no bar do lado... falta de respeito da porra - apesar disso, ninguem fica de fora do som). Enfim , mais uma missão cumprida e resolvida por mim e pelo Douglas... Que ficamos até uma da manhã no bar agravando nosso prejuízo com cervejas e dormindo na rua por falta de condução no horario de fechamento do bar. Mais um evento bom para minhas eternas lembranças das correrias pelo punk que fiz em minha vida!


domingo, 13 de dezembro de 2009

Resumo curto e grosso dos últimos eventos que não tive tempo de resenhar...


Querer ser alguém na vida, ter um pouco mais de dignidade ou simplesmente gastar 70% do salário (sinônimo de faculdade) além de te deixar duro te deixa sem tempo por conta dos trabalhos, tarefas, projetos e outras desgraças mais. Portanto não tava com cabeça nem para raciocinar sobre detalhes e o que aconteceu nos eventos que eu compareci e que resenharia depois.
Muita gente me cobrava:
- E o blog, Feio... abandonou mesmo?

Não, meu bloguinho querido do coração agonizante partido enganado e chifrado do Feio, Não te abandonei! Agora voltei com tudo! Acabei com essa merda de faculdade sou mais um Gestor de recursos humanos sem oportunidade de emprego e perspectiva de crescimento. Vamos diretamente ao ponto?

Teve muito evento bom neste hiato, queria resenhá-los todos... mas Vou ser curto e grosso, dando a maior objetividade e sentido possível ás micro-resenhas que seguirão adiante.

03/10/2009 - CÓLERA, RESTOS DE NADA, HELL SAKURA E SOCIEDADE SEM HINO - Centro cultural da juventude Ruth Cardoso, São Paulo/SP

Esse evento foi mais um daqueles sons comemorativos aos 30 anos de cólera, veio bastante gente e foi pacífico, deu pra me divertir bastante... sobre as bandas:

Sociedade Sem Hino - Não vi. Estava bebendo lá fora.

HellSakura - Rock'n roll competente, mas não é tudo isso que os "cool" da cena "alternativa" falam. É melhor que o okotô (banda anterior da cherry), mais bem tocado. Mas não conquistou meu coração. O show foi bem conduzido, mas a galera queria ver tosqueira e tava parada no seu canto meio que expulsando a banda com olhares de "sai daí, quero ver o cólera".

Restos de Nada: A primeira banda punk do Brasil fez mais um show foda, empolgante, energético que a galera agitou mais que o cólera (não é todo dia que temos essa banda mandando um som pra nós, ainda mais de graça). O som tava muito hardcore, eu particularmente pulei que nem um doido e poguei sem medir consequencias com nada nem com ninguem... Parabens mais uma vez ao ariel, luizão, douglas e douglinhas por manter essa banda ainda viva, mesmo que seja de vez em quando....

Còlera - Um show razoável, com bastante "raridades", "lados B" e participações especiais, o público estava agitando bastante no começo, quando as músicas conhecidas estavam sendo executadas. Mas quando surgiram as "lado-B", o pessoal meio que murchou, a roda de pogo diminuiu e Pôde se ver até mesmo uma garrafa de Coróte voando em direção ao redson, jogada por um "mendigo" que estava lá e que ganhou uma camisa do ramones novinha em folha de um dos muitos punks ali presentes.

09/10/2009 - GBH no Inferno Club - Não fui.

10/10/2009 - Garotos do subúrbio, Lixomania e Armagedom - hangar 110, São Paulo-SP

Esse evento marcou a estreia do Garotos do Subúrbio, que é a formação clássica do Inocentes na época do disco "Miséria e fome", com o onipresente neste Blog Ariel nos vocais... um evento que não teve muito público, mas que foi muito bom. Só deu pra dar uma pogadinha no Lixomania, devido á responsabilidade de ficar com a minha clássica banquinha de material no cantinho do hangar. Bandas, na ordem:

Armagedom: Quando começaram não tinha muita gente ainda no hangar, o repertório foi curto e o show não empolgou muito a galera presente - Tiozões Punk rock 77, salvo alguns que curtiram o som desta banda que atualmente foi adotada pelos crusties e anarkopunx e estavam relembrando os tempos em que aqueles senhores no palco (exceto o novo vocalista, o Thrash) eram uma banda iniciante inaugurando uma nova era no hardcore nacional.

Lixomania: Com uma galera a mais, a clássica banda entrou no palco e mandou ver um set completo e empolgante, que até eu não aguentei ficar longe só olhando e parado. Tocaram todos os clássicos da banda em geral. O Guitarrista da banda não veio e um substituto ilustre deu conta do Recado - Ari baltazar, da banda 365. Perfeito.

Garotos do Subúrbio - Com a casa com mais ou menos uns 150 pagantes, a banda começa o repertório de clássicos da fase do "Grito Suburbano", tocaram na íntegra os clássicos do disco "Miséria e Fome" e outras músicas de várias épocas adaptadas para a crueza da banda, com sonoridade direcionada ao clima oitentista. Pena que o repertório foi curto (menos de 50 minutos) e o evento acabou cedo. Mas valeu a pena.

11/10/2009 - Invasão Punk - Cesar Bar, Itaim paulista - Zona Leste de São Paulo. - Este evento merece uma resenha completa. Em Breve!

17/10/2009 - SUB Fest - Bilhar,Campo Limpo/ Taboão da Serra, Zona Sul de São Paulo

Foi um evento que tinha tudo pra dar certo: Aparelhagem Boa, Lugar bacana, Bastante gente presente, só banda legal... Mas devido a umas desavenças motivadas por empréstimos de instrumentos entre duas bandas e sendo o já atualmente saído integrante de uma das bandas envolvidas dono da aparelhagem toda do som, o mesmo desmontou todo o equipamento diante da recusa do empréstimo de um contrabaixo por razões justas e o som terminou com muita frustração principalmente por parte da pé sujus que atravessou a cidade para não tocar e do Menstruação anárquika que também não tocou. Mas valeu ao Fábio da banda sarjeta (que não tocou tambem) pelo convite e pela iniciativa. Se no proximo evento não precisar depender de pessoas com essa atitude, o próximo SUB será um sucesso. E estamos aí para ajudá-lo no que for preciso. Mas deu pra ficar bêbado, jogar bilhar e ouvir Benito di paula no Jukebox 5 horas da manhã! hehehe... Bandas:

Naftaleno - Disseram que tocou mas eu não vi. talvez ja tenha terminado de tocar quando cheguei.

Atentado - Uma espécie de Thrashcore com vocal grave e agudo, Muito foda e pogante, paixão á primeira ouvida! Show igualmente foda.

Juventude Maldita - Show pogante e empolgante de seu Punk 77, pena que o repertório foi relativamente curto - eles teriam um som no capão redondo logo em seguida.

Excomungados - A pior banda do mundo fez um show simplesmente foda! Tocando muito, mas muito mal mesmo, despertando um pogo jerk, invasões ao microfone, moshs... Perfeito! só clássico na orelha, improviso total, algumas pessoas rindo, outras não sabendo o que estava se passando, e a maioria pogando!

Pé Sujus, sarjeta e Menstruação Anarquika - Não tocaram. Uma pena.


18/10/2009 - IV Araraquara Punk - Araraquara/SP - Esse aí também merece uma resenha exclusiva.

01/11/2009 - Sobrevivência Punk, Itajubá/MG - mais um que merece resenha exclusiva...

07/11/2009 - Garotos do Suburbio, Herdeiros da Revolta e Menstruação anarquika - Espaço Impróprio, centro de São Paulo.

Este evento foi uma alternativa ao pobres punks desprovidos de dinheiro como eu que não puderam ir ao playcenter no festival planeta terra para ver Iggy Pop & The Stooges... Acima de tudo um evento verdadeiramente PUNK. O espaço impróprio, um espaço libertário tocado Pelo Josimas e pela galera Anarcopunk abriu as portas para o Garotos do Suburbio mandar sua sonzeira. Era pro Lixomania tocar, mas como estão sem guitarrista, o Quebra Galho Ari-baltazar não pôde ir devido á sua escala de trabalho não permitir. Mas foram bem substituídos pelo Herdeiros da Revolta.Não tinha taaanto público, mas foi um evento bom. Bandas:

Garotos do Suburbio: Mais um show foda deste projeto que já conta com a empolgação de todos os integrantes para seguir em frente... Tocaram o mesmo repertório que o do show do hangar, mas com uma novidade: "Ri dos Hippies", música que pelo que eu saiba só temos registro dela numa gravação tosca ao vivo que saiu como bonus na versão em CD do grito suburbano. Pena que tocaram muito cedo. O Tio Ariel vazou correndo para não ver o mestre Iggy pop ao vivo. E infelizmente algumas pessoas vazaram ao término do garotos.

Herdeiros da Revolta - Escalados em cima da hora para substituir o Lixomania, os caras mandaram ver seu Punk 77 direto do suburbio da zona leste empolgando as poucas pessoas que estavam no porão do impróprio - Uma coisa que fico fudido quando tem banda de "nome" no meio de uma gig é que a maioria das pessoas acham que só a mesma merece prestígio... se foderam: O show do herdeiros foi foooda! per-de-ram, lero-lero... como dizia Sergio Mallandro: "Hááá... salcifufu!"

Menstruação anarquika - Desta vez tocaram e mandaram um showzão pras poucas pessoas que insistiram em ficar até o final. Algum erro aqui, uma falta de tempo ali, mas só mais um pouco de ensaio que o baguio fica Bão... Mas quem disse que as pessoas ligaram? o que interessava era pogar e cantar junto os clássicos dessa banda foda!


14/11/2009 - Show do The Exploited - Inferno Club, centro de São Paulo.

Poderia ser uma resenha completa, mas esse dia foi tão doidera que num lembro de nada - Estava Beeebado! Eu nem ia no show, mas saí do trabalho, ensaiei com a pé sujus num estúdio próximo a galeria do rock, encontrei alguns amigos e fomos todos subindo a augusta, pra ir na porta do som. Até que aparece um desistente e me vende seu ingresso por 30 reais (Medinho de careca, será?). Então, outros amigos que estavam comigo foram até os caixas eletrônicos mais próximos para aumentar o saldo devedor ao banco e entrar no som - 60 pau... ui! O show foi legal, mas deu uma merda: Um garoto esfaqueado dentro do Inferno Club por "Carecas", um caso que ficou abafado mas que merece registro, pois ninguem gostaria de pagar 60 reais pra sair machucado de um show, numa casa como a Inferno Club - Pra entrar alguma faca, com certeza os seguranças - policiais fazendo bico, segundo ás más línguas - devem ter feito vista grossa. E mais uma vez o show acabou quando o metrô e o ônibus acabaram e mais uma noite de sábado pra domingo se encerrou na rua esperando o metrô abrir - mofando num habib´s com amigos e amigas. Desta vez a Ataque Frontal acertou quando o assunto é banda de abertura. Bandas:

Busscops - Não vi. Entrei um pouco tarde. Queria ter visto, a banda é muito boa.

Agrotóxico - Um show histórico, memorável, Destruidor. Como não sou muito fã de exploited, foi melhor que o exploited. Poguei pra caramba. Pena que no meio da roda tinha uns carecas folgados dando porrada em todo mundo, mas nada que um "Junta todo mundo e bate o Pé" não resolva hehehe.

Exploited - Me surpreendeu a qualidade do show da banda. Tocaram as músicas dá época do Punks not dead,mas eu destaco o Exploited mais "Metal" que é o que eu consigo ouvir sem desligar o cd player antes da musica acabar: "porno Slut", "The massacre", "Fuck the system", "Beat the bastards". Tem as menos piores da fase punk rock deles, "Fuck USA", "Punks not dead", "Sex and violence", que contou com a participação da Cherry do HellSakura... mal dava pra pogar, tamanha aglomeração frente ao palco do Inferno Club Hiperlotado - Saí de lá encharcado, com os dedos "chupados" (tipo assim, quando fica muito tempo dentro da água)...
Mas foi legal. Essa resenha é fraquinha porque num sou muito entusiasta do exploited. E para aqueles que falam que é som de nazista, o batera estava com uma camiseta enorme com uma Suástica "Cortada" (Anti-nazi).

20/11/2009 - Somos todos Zumbi - Hangar 110 - Merece uma resenha Integral também!

05/12/2009 - Show do casualties, hangar 110 - Não Fui.

05/12/2009 - Garotos Podres, Cólera, Replicantes -SESC Pompéia -

Esse eu fui. Foi muito bom, pena que foi rápido, começou ás 21 hs e terminou ás 23 hs, sendo assim 30 minutos para cada banda. A choperia do SESC pompéia, onde rolou o som, estava Lotada! Foi um evento agradável, sem brigas, com uma ótima aparelhagem, cerveja a preço justo, reencontro de vários amigos que há tempos eu não via. nem senti falta do show do casulaties (queria ir, mas a grana não era suficiente). Bandas:

Replicantes: Primeira vez que os vejo ao vivo com a Julia Barth nos vocais. Confesso que ainda sinto falta do Wander Wildner e suas performances e sua voz rasgada que dava o tom de perfeição no replicantes. Mas a Julia deu conta do recado. Além de ser muito bonita, tem presença de palco e contagiou a galera. Ofereceu "Nicotina" para nosso governador José Serra e sua lei antifumo. Foi até marcante a hora em que um amigo meu subiu no palco com um cigarrão aceso, prontamente retirado pelos seguranças do palco e seu cigarro devidamente confiscado e apagado. Meia hora de reunião de quase todos os clássicos da banda. Mas faltou "Boy do Subterrâneo".

Cólera: Meia hora só de Clássicos da banda, um dos melhores shows deles. Destaco quando tocaram "somos vivos", lá vai eu pra imensa roda de pogo do SESC pompéia hehehe.

Garotos Podres: Fazia tempo que não via a banda. E como sempre Detonaram naquele palco. Uma banda muito profissional e empolgante, num show mais focado ao mais recente disco "Garotozil de podrezepam" - Único defeito do show. Faltou muita coisa como "Rock de subúrbio", "Subúrbio Operário", "proletário"... mas tocaram "Vou fazer cocô". Então tá bom né. Pena que foi só meia hora.


12/12/2009 - 2ª Festa Contra o Preconceito - Pererê, São Miguel Arcanjo/SP

Este evento foi realizado numa Churrascaria numa cidade longínqua da capital, São Miguel Arcanjo - Próximo á itapetininga, Um pouco pra lá de tatuí... Longe pra caralho! Umas 4 horas de Van pra chegar lá. Fui acompanhando os amigos da banda StreetPunk (de verdade, não esses verme da Augusta que chupa rola de careca) das Cidades de Santa Isabel e jacarei - Beer Class, Com muita zueira na van, Muita cerveja e Muitas paradas para mijar em decorrência do consumo excessivo de cerveja. Após muitas voltas conseguimos achar a cidade (Não tem nem placa para localização na estrada, fomos na raça!) e logo percorremos o centro do modesto município atrás de algo para comer. O lugar era bem legal, uma churrascaria grande, uma discotecagem caprichada com muito Ska, OI! e Punk 77, Punks e Skins Antifascistas juntos curtindo - Interior é bom porque não tem sectarismo.Sò a aparelhagem que não ajudou muito. - Umas PAs enormes, mas mal reguladas, o som embolou geral e não deu pra ouvir nada, mas a iniciativa do evento foi muito boa, rolou na paz... ao menos até a hora em que fui embora. Parabéns a organização Bandas que vi ou deveria ter visto (eita cachaça boua...):

Declínio Moral - Perdi. Enquanto estava comendo cachorro quente umas ruas acima, a banda mandava ver seu punk rock. Pessoas presentes me contaram que foi muito bom.

Secreção nasal - Mandou um Punk hardcore com letras de protesto e o pogo comeu solto, mas pena que não dava pra sacar muito das ideias devido ao som embolado. Mas deu pra curtir legal.

Beer Class - Descarregou seu StreetPunk/Hardcore á lá GBH empolgando a galera presente, Intercalando com varias covers, como "Give me Fire" (GBH), Buracos Suburbanos (Psykóze), Garotos do Suburbio (Inocentes - com eu no vocal hahaha), e seus já clássicos: "Espírito Rueiro",
"Sexta feira", "Jovens sem futuro", "Anti-social", entre outras.

Tocariam ainda as bandas Jump Boys, Poluição Mental, Skuul Crusher e Lindemulder, mas já eram 2:30 da manhã e tivemos que ir embora, portanto não sei se todas bandas tocaram. Mas tá aí registrado!

Enfim... paguei meus pecado postando tudo isso aqui por 3 horas a fio nessa merda quando poderia estar fazendo coisa melhor. Alguma garota quer namorar comigo?




sábado, 24 de outubro de 2009

Invasores de Cérebros no tatuapé e Sham 69 no Inferno Club: 26/09/2009

Invasores de Cérebros no tatuapé!!!!
TV Smith - Vèio doido!
Sham 69!!! Sem palavras! Só Uma - FODA!!!

Flyer do Som!

Aeeee porra! Eu não morri, não abandonei o blog! Eita vida carregada de coisa pra fazer, eu sou um exemplo de integridade: Trabalho o dia todinho, estudo a noite e faço um monte de trabalhos de faculdade pra tomar meu tempo, quando sobra tempo vou me divertir e quando sobrar mais um pouquinho de tempo eu mexo nesse troço! Estavam com saudade? Eu também! Mas vamos lá... Esta postagem trará um dos rolês mais insanos do ano: O Show punk que rolou na Silvio Romero e o show do Sham 69/ TV Smith no Inferno club.

Eram umas 4 da tarde quando eu e meu amigo Willy (Mente psicopata, Operador de telemarketing, Tocador de violino e Punk nas horas vagas) saímos da nossa casa, o bairro do Itaim paulista, rumo aos eventos que iriam embalar-nos pela noite toda. Pegando o trem suburbano em guaianazes, descemos ás 17 hs na estação tatuapé do Metrô/CPTM. Passando a catraca: Quanto Punk! Todos se encontrando para irem juntos subir a rua tuiuti rumo á praça Silvio Romero, onde tocaram Invasores de Cérebros, Asfixia Social (Mais puxado pro Ska/RapCore), que organizaram o evento - Ganharam um subsídio para realilzação de eventos culturais pelo projeto VAI (valorização de iniciativas culturais) da Secretaria de Cultura da Cidade de São paulo, e Agrotóxico. Mas das três bandas, só vi a invasores de Cérebros. Poderia nem citar esse rolê. Mas oInvasores fez um show muito foda! A aparelhagem estava muito boa, a praça lotada de Punks, Sharps, RASH's (O sectarismo foi deixado de lado neste dia!), todos pogando juntos ao som do invasores. O repertório continua o mesmo. Mas o detalhe interessante do show foi: O local - Uma praça, com um espaço ótimo para pogar, pular se debater e anarquizar. E o mercadinho Econ atrás do palco vendendo cerveja de lata a 1 real! Imagine a felicidade do garoto: Bêbado sem gastar muito, ouvindo uma de suas bandas favoritas mandando ver, vendo uma cena linda - A punkaiada cantando em uníssono os sons do invasores. A data também trouxe á tona velhos amigos que não via desde "1900 e guaraná com rolha" e alguns panacas desafetos assumidos que tem a cara de pau de apertar minha mão. Ainda bem,que dei uma bela coçada direto nas minhas bolas suadas antes de pegar na mão deles ahahahaha.

O show do invasores começou com uma hora de atraso, em virtude de uma... Missa! Sim, a igreja da praça teve uma missa bem ás 18 horas, e a banda só pode entrar no palco pouco depois das 19 horas (Todos aproveitaram pra chapar - Será que o padre reclamou do sumiço do vinho da sacristia? ahahahha. Tocaram o repertório basicão de sempre: Começando com "realidade", depois mandando as musicas do Cd "O cérebro é uma bomba relógio...", o cover do 999 (homicide), os clássicos "São paulo", "Porra de vida" e encerrando com covers da restos de nada. Depois do show, sobe ao palco Tina,Esposa do Ariel, Autora da frase clássica do cinema nacional :
- Punk tem que se fuder mesmo, tem que tomar no cú... nénão?
Ela fez um merchandising dos tenis "Pony", segundo ela, "Um tenis pra punkaiada usar", jogando caixas com pares no esquema do "Aleluia"! Tinha um par tamanho 42 que ela jogou com caixa e tudo. Peguei um pé... Nisso, um cara veio do nada, tomou o pé da minha mão - bebaaaço... E o outro que pegou o outro pé também nõ queria abrir mão! Cada um foi pra casa com um pé de tenis novinho, em folha, para matar barata, bater no irmão mais novo ou jogar no poste pra ficar pendurado pelos cadarços.

Perguntava pra galera: Alguém vai no Sham? Todos:
- Cê é loko? Só vai ter careca lá...
- Vou nada, tô juntando dinheiro pra ir no GBH...
- Sham sem Jimmy Pursey num é sham, cê tá jogando dinheiro fora...

Pois é, só eu e o Willy mesmo topamos encarar o desafio de ir pra "perigosa rua augusta que só ia ter nazi"... Foi tanto que o povo ali falou de Pilantra que os caras apareceram foi no Metrô tatuapé na hora que todo mundo tava saindo fora, gerando um inevitável quebra pau com a vergonhosa ajuda dos "urubus" do metrô a favor dos careca/nazi que ali estavam (Nada contra os seguranças do metrô, tenho alguns amigos como o Babão do Lokaut/ Condutores de cadaver que exerce esta função - Mas pra eles defenderem os caras que estavam com PORRETE na mão fechando a catraca, segundo relatos de pessoas presentes, fica estranho...). E a polícia chegou em dois minutos pra reforçar o contingente da pilantragem fascista e bater e prender uns punks...

Enquanto isso, Eu e willy, subíamos a augusta rumo ao Inferno Club, reduto de quase todos shows gringos que estão rolando por aqui, para mais um evento realizado pela Ataque Frontal. Após um rápido Ratoburguer no bar do BAHIA (onde no banheiro está pixado na parte de dentro da porta uma suástica com os dizeres "Fora Negros" - irônico, não?), entramos no inferno... Lá dentro um público não muito grande, mas também a casa não estava vazia. Mas nem se comparava á lotação do show do 999/The lurkers. E Durante o evento todo, cadê os "Carecas Matadores de velhinhas inocentes" que todos diriam que ia ter? Se tinha, estavam disfarçados, sem visual e totalmente comportados...

Quando chegamos, a banda de abertura estava mandando ver no palco: A Boobarellas. Com um punk rock chatinho, melódico demais... a banda "animou" a casa, fazendo o público olhar para eles com os braços cruzados e batendo o pé de inpaciência como se dissesse "Sai daí caralhoooo..." Renato da Ataque Frontal, Um recado pra você: Tu trazes muitas bandas foda pra cá, realiza nossos sonhos de ver as figuras que estampam nossas camisetas tocando em seus instrumentos em palcos muito próximos de nós! Mas que mau gosto pra banda de abertura viu! A única boa que vi em seus eventos até agora foi a sweet suburbia, que o resto, pelamordedeus. Se isso é a nova Geração do punk, se estas bandas são Promissoras na cena, O Punk MORREU! E tenho dito. Tanta banda boa e verdadeiramente punk por aí e só esses playboys que só tomam cerveja importada tem a oportunidade de mostrar seu trampo num show bem estruturado? Nhaaaa...

Queria tomar uma cerveja enquanto TV Smith não subia no palco, mas no dia do evento a casa não trampou com comandas: Ficha no caixa, querido! Lá vai eu pra uma fila digna de espera de atendimento do Bradesco pra pegar uma ficha e trocá-la por uma cerveja em lata de 5 reais (ai que saudade do tatuapé...). TV smith se ajeitava no palco enquanto isso o DJ Focka mandava ver uma discotecagem Punk 77 de primeira. Até que Ele, O lendário Frontman do The adverts, Sobe ao palco para uma apresentação fudida, mezzo acustico, mezzo PUNK. O lado acústico foi lindo para nossos ouvidos: Uma viola bem afinada e um tiozão bem louco que não fazia jus a seus cabelos Brancos - Não parava um momento só no palco e conversava muito com a platéia.No formato acústico podemos destacar clássicos como "No time to be 21", "Great British Mistake", "Generation Y"... Aí chegaram mais uns doidos arroz de festa bem ensaiados, plugaram os instrumentos e mandaram os clássicos maiores do adverts, como "New church", "Gary Gilmoe eyes", e "Bored Teenagers", entre outras... Enfim: A parte acústica foi pra relaxar, e a parte plugada pra esquentar o sangue pro Sham 69 que viria em seguida. Pena que o set de TV smith foi relativamente curto.

Eis que após um curto intervalo, surge no palco a Lenda Viva do Punk/OI! Mundial: Sham 69! E começaram com "Angels with dirty faces", despertando o pogo dos mais animados e o tradicional empurra-esmaga dos que gostam de um pé de palco. Um gordo Tim V como frontman da banda gera o óbvio contraste com o magrelo e desengonçado Jimmy pursey que todos justificavam ser insubstituível. Mas este cara fez muito bem seu papel, conversando muito com a Platéia, animando a galera, dando um brilho todo especial á apresentação do sham. Quer clássico?Toma então: "I don't wanna", "The cockney kids are innocent", "Hersham boys", "Questions and answers" (quase gozei nessa música...), "Red london", "Hey Little rich boy"... Pontos altos do show: "Ulster" - Pogo Pulante e berros do público na hora do refrão; "Hurry up harry", cantada em uníssono; "Borstal Breakout"- Fiquei fora de si...; What have we got"... "Tell us The truth"... Eita show porreta! Sem dúvida, meus amigos que ficavam torcendo o nariz para a nova formação do sham não sabiam o que estavam perdendo. Estava em transe, Pulando feito um retardado pelo salão todo. Teve a saidinha do palco por 1 minuto batido no relógio e o óbvio bis pra encerrar o show: "IF THE KIDS ARE UNITED!!!". Se você conhece sham, sabe que este foi o ponto máximo do show sem mesmo ter ido. Se você não conhece, saiba que esta música é um hino de toda uma geração. Um grande cordão de pessoas abraçadas pulavam juntos, sem perguntar nome ou ideologia... afinal: "If the kids are united, Them will never be divided!"

Acabou o show do sham, era 1 da manhã - De novo o show acaba quando as possibilidades possíveis de condução para o subúrbio se esgotam (Alguém aí paga um táxi Bandeira 2 de 25 quilômetros da augusta até o itaim paulista?). Ficamos na casa até sermos praticamente expulsos novamente, e eram ainda... 2 da manhã! Lá se foi mais um evento em que eu, Willy e uns amigos do interior ficamos na rua, comendo esfiha de carne no habibs pra arrotar carne azeda de manhã, Comprando goró barato nos mercadinhos 24 horas, parando nas portas de baladinhas Góticas e Hard rock pra ficar derretendo as menininhas com tantas olhadas fogosas, Tirando Foto com uma privada encontrada em plena avenida ipiranga ás 3 da manhã, e ouvindo histórias de um flanelinha da rua augusta que fazia umas caretas muito bizzarras - O sujeito se dizia primo do Rodella (caretas iguaizinhas), diz ter pegado 5 anos de cadeia, além de ter composto 4 sambas para o Bezerra da Silva - inclusive o "Defunto Caguete". Isso foi bom para o tempo passar e o metrô voltar a funcionar novamente - 4:40 da manhã... espero que o próximo show termine a tempo de ir pra casa, ou a balada seja esticada. E lá se foi o disco voador...

sábado, 26 de setembro de 2009

Manifest Day - Hocus Pocus, São José dos Campos, dia 13/09/2009


Cegos pelo ódio!!!

Invasores de Cérebros!

Descrentes!
Flyer do evento!!!


Mais uma vez lá vem o Feio com suas histórias de rolê no interior, que ele diz sempre valer a pena!!! E o pior que faço questão de prestigiar o maior numero de eventos possíveis de eventos fora da região metropolitana de São Paulo, em especial na Região do vale do Paraíba, Jacareí e São José dos campos mais especificamente, onde o Chicote Estrala pra valer - e eu já sou de casa hehehe... Sem falar de varias cidades da região onde passei bons momentos também como Taubaté, Pindamonhangaba, Lorena, além de Paraisópolis (Sul de Minas) que posso considerar como da regiao, afinal quando tem som na Hocus Pocus, o pessoal do sul de Minas representa e lota vans pra ver as bandas tocando lá.

O manifest Day foi mais um evento realizado pela guerreira do underground do vale Paty e a galera do Ziper Zine, que sempre traz as bandas de maior expressão do cenario Punk/HC para a região, além de realizar algumas coisas por aqui em São Paulo de vez em quando... O diferencial dos eventos do Ziper Zine é que sempre há exposição de Fanzines, arte underground, livros independentes e os "Rango Vegan" que salvam a noite (na hocus só vende salgadinho torcida...). E a proposta do Manifest Day ia mais além: No intervalo das bandas, o público poderia subir no palco e aproveitar o Microfone aberto para manifestações, recitar poemas, mandar uma idéia, um salve pros mano da xurupita... enfim para todos saberem o que se passa em sua cabeça, para compartilhar ideias e sentimentos. Masss... a adesão foi quase nula, se Não fosse eu lendo uns poemas de minha autoria e autoria alheia, extraídos do Fanzine que estava sendo lançado no dia (Sujem as Ruas 2) do meu amigo João Paulo e do Lecão mandando um poema muito foda no palco (anti-emo total ahahaha), a iniciativa iria passar batida. Mas estamos aí né!

O evento não teve tanto público como das outras vezes. O "fator banda" não influencia, pois a atração mais esperada da noite, a Invasores de Cérebros, tocou lá ano retrasado e a casa estava cheia. A divulgação foi boa, até gente daqui de são paulo me perguntava como chegar no som... Saímos de van daqui de São Paulo um pouco tarde. Na van estava eu, os caras da Invasores de Cérebros, da Cegos Pelo Ódio , além da Danny do Ziper Zine, que mora por aqui e outros malokeiros arroz de festa ahahaha. O Motorista da van ainda por cima se perdeu no meio do caminho - Na altura de Jacareí, ao invés dele seguir a Via Dutra direto, entrou na Rodovia Carvalho Pinto, e chegando em São José dos campos tivemos que dar a volta completa na Cidade pra sair na Dutra na altura do começo da Rua Paraibuna (de acesso á avenida que fica perto da Hocus pocus) - e perdemos muito tempo com isso, chegando lá umas 7 e pouco da noite.

Chegando lá a primeira banda já estava encerrando o Repertório - Amnésia Coletiva. Não tenho muito o que dizer do show deles. Mas 80% das pessoas que estavam no evento estavam lá agitando e cantando até o último acorde... Se o show deles foi bom eu não sei... Mas deve ter sido, afinal é uma Ótima banda!

Segunda banda da noite, a aclamada e fudida DESCRENTES! Esta banda, com 6 anos de estrada é uma das bandas mais Conhecidas do Vale ultimamente, vale a pena conhecer. Aqui em SP não é muito conhecida, mas lá a aceitação é bem maior, afinal eles junto com a galera do Amnésia Coletiva Trabalham na proposta da conslidação da Cena PUNK/HC do vale. Fizeram um show Fudido como sempre, Mesclando Peso, Técnica e Velocidade, e as músicas dos dois CDRS da banda já estão na boca da galera, resultado de muita luta e divulgação. O "Circle Pit" ou o "pogo redondo" como eu gosto de chamar não cessou um instante ao som dos Descrentes... Muito foda!

Em seguida ocupa o palco a banda Estreante Cegos Pelo Ódio, formada pelo Renato (grande camarada), Montanha (Gostosão Carnudão ahhahaha) Cecília (aiaiai...) e pelo Pig (guitarrista presença rsrsrs)... Como todo primeiro show que se preze so teve cover... A banda estava bem ensaiada, a aparelhagem ajudou bastante e os covers escolhidos empolgou o público (Muuuito olho seco, Cólera, Kaos 64...). Aprovada pelo Feio! Mas tratem de fazer mais músicas próprias - E você Cecília, pare de perder tempo e namore comigo hahaha. O vocal Renato tem uma grande presença de palco... e eu dei uma de Sid Vicious no Cover de Kaos 64, quando a Cecília deixou o baixo de lado ahahahahah... Aguardaremos os proximos shows.

Por volta das 21:30 sobem ao palco os Invasores de Cérebros, para mais uma apresentação memorável! Sem muitas delongas, já enfiaram o clássico paulada "Realidade" goela abaixo do pessoal que ficou até o final para ver o Invasores... Apresentaram também de cabo a rabo o Recente lançamento da banda, o CD "O cérebro é uma bomba-relógio, o cérebro é o apocalipse". Eu particularmente endoidei e fiquei pogando e pulando que nem um retardado em meio ao "Pogo redondo" que se instalava ali... E lógico que não poderia faltar os clássicos "São Paulo", "Porra de Vida", "Sangue de crianças"... Tocaram ainda clássicos da Restos de Nada, banda que há exatamente um ano atrás se apresentava naquele palco com a casa Hiper lotada, num show hsitórico para a região... Do restos de nada foram executadas: "Desequilíbrio", "Ódio", "Direito á preguiça"... enfim o povo não queria deixar os caras sair do palco. Mas tinham que sair. Segunda feira é dia de trabalhar de manhã cedo e estávamos muito longe de casa ainda...

Saldo Final: Mais um evento foda, apesar de estar meio vazio... Mais uma boa lembrança de um evento que começa e termina em paz, com muitos fanzines pra galera, o Emerson Kiazov (Produtor de vídeo independente da região) gravando depoimentos da galera para um documentário, não fiquei bêbado e tomei conta de que só eu e o Lecão mesmo fomos ao microfone aberto... que da próxima vez ninguem tenha vergonha ou ache "Amostrado" quem sobe ao palco para falar alguma coisa... O palco é para todos! Suas idéias não podem ser contidas por seus próprios paradigmas, fale, expresse! Se tiver o que falar, o que expressar, não perca Tempo! Afinal somos punks por quê e para quê? Parabéns para a galera do Vale mais uma vez pela valorização da sua cena local que só tende a crescer e á Galera da Ziper zine por mais um evento foda. Não tinha muita gente. Mas foda-se a quantidade... Qualidade é o que importa!

domingo, 20 de setembro de 2009

Expresso do Suburbio III - Galpão Studio, Ferraz de Vasconcelos/SP - dia 06/09/2009

POGO DO COLISÃO SOCIAL!!!


ESTADO DE GUERRA! ESTA FOTO "PROMO" FOI TIRADA NESTE EVENTO


FLYER DO EVENTO êêê...





Após um tempinho de ausência, voltei... êêêêêê... Sou um Rapaz Trabalhador que ainda faz faculdade á noite (Sim, eu caio na ilusão de que isso vai me fazer um homem mais digno e totalmente estabilizado!)... Nos fins de Semana, este cara aqui está por aí tomando suas Corótes ou Cervejas baratas ao som de Punk Rock em gigs suburbanas que acabam sendo relatadas aqui quando me sobra um tempinho... A propósito Gostaria de agradecer quem está lendo essa bosta de blog véio e que dá uma força, com um expressivo Feedback positivo das postagens! Valeu mesmo! Enquanto não tiver nada mais importante pra fazer pode ler esse troço mesmo hahaha...

Mais uma Gig da "Feio produções" foi organizada no dia 6 de setembro passado, desta vez no Galpão studio (ou studio galpão, sei lá, é galpão e pronto, cabô o pobrema!) na cidade de Ferraz de Vasconcelos (Tão longe né? Eu vou a pé da minha casa hahahaha). Um domingo chuvoso, tão chuvoso que eu achava que não viria tanta gente como imaginava. E os Punks hoje em dia parece que são de açúcar (medo de enferrujar os Rebites do jaco? Ou a chuva fazer o sabão que levanta o moicano correr pelos olhos?), uma gotinha de chuva e lá vem o argumento que "Fazer rolê hoje é 'molhado' " - e é molhado mesmo hehehe.

Chego ao local do som por volta das 14:30 (no flyer começaria as 15 hs) e ninguem do lado de fora esperando começar, como já estou acostumado a ver tova vez que eu faço um evento... bato na porta do pico e quando entro, Já vejo uns 6 Punks conhecidos meus capotados num sofazinho que tem lá - Virados do rolê da noite anterior... talvez de praxe estivessem lá desde ás 10 da manhã dormindo na porta do som, como já fazem na porta do Cesar Bar quando tem som lá - Já possuem essa marca registrada ahahahhaha... Como a chuva não cessava, sabia que o povo demoraria a chegar - Fui comer um "Ratoburguer" numa pastelaria de Chinês numa pracinha proxima ao Galpão. Bucho cheio e chuva parando, vou até a frente do pico pra esperar a galera chegar, as bandas e tal. Ali eu pago Aluguel e Não preciso trazer um parafuso, já tem tudo lá (não digo o valor pois é antiético), portanto, cada pessoa pagando entrada ali é importante... pois o que faltar no valor arrecadado na porta eu tenho que dar do meu bolso - E já tomei tanta Bica ficando com dó de "Punk" que diz não ter dinheiro pra entrar no som (E com duas cápsulas de farinha no bolso- Sem falar das "N" cervejas que são tomadas por essas pessoas que choram pra não pagar entrada - E eu que me foda!). Sempre faço o seguinte sistema nos meus eventos - Quem tem toda a grana paga o valor integral - Tem aqueles que tem boa parte, mas não tem todo o valor - Entra também. Tem a turma do "Rateio"... levantando um valor bom, entra também. Quem não tem grana acaba entrando, mas bem no finalzinho, tipo após o começo do repertório da ultima banda. Já passei muito por isso, de fazer rateio, de não ter grana pra entrar em som... mas não é porque hoje eu tenho o controle em algumas situações que eu tenho que agir emocionalmente baseado no que eu passei. Afinal também sou pobre, ganho mal e não tenho nada a perder - Muito menos prejuízo a tomar por colocar pra dentro do som na faixa alguem que não me diz nem obrigado, como se eu não estivesse fazendo mais que minha obrigação...

As horas passavam e nada do povo chegar... 4, 5 horas da tarde e um ou outro gato pingado aqui e ali... nem as bandas chegavam... e eu preocupado: Justo hoje irei tomar prejuízo por falta de público? Abria a minha carteira e olhava minhas parcas "oncinhas de segurança" com a cara de que "poxa, eu poderia estar comprando um tenis novo pra mim, umas roupas, adiantando umas mensalidades da faculdade"... O que não faço pra essa porra de Punk continuar vivo... Deu então umas 5 e meia e da estação de trem começam a sair bastante punks vindos de varios pontos de São paulo e Região... As bandas chegando tudo de uma vez (exceto a herdeiros do Ódio e parte do colisão social que chegariam mais tarde). Como já tinham bandas completas que já chegaram ali, Eu e meu senso de Justiça fiz o sorteio da ordem das bandas completas presentes... A ordem ficou assim:

1ª - Ódio Social
2ª- Jhaspion
3ª - Estado de Guerra
4ª - Kob 82

Colisão social, como faltava gente ainda, ficou como 5ª. E Herdeiros do ódio não havia chegado ninguém... Encerrariam o evento, 6ª banda.

Já mando os caras da Ódio Social pro palco pra passar o som e fazer um barulho pra chamar o pessoal pra dentro (engraçado né... o pessoal pega condução, paga entrada pra ficar do lado de fora do som o tempo todo, e as bandas que se fodam né hahahha - tô revoltado hoje hehehe)...

6 em ponto, Começa o show da Ódio Social e Seu GrindPunk/ hardcore velho conhecido nosso... Crú, Podreira, Na cara mesmo, que chega a doer como um soco! Os caras mandaram ver um repertório grande, com bastante músicas (todas rápidas, num faz muita diferença rsrsrs), que deu e até sobrou para os 40 minutos de palco que cada banda tinha pra fazer o melhor que poderia fazer... A galera presente não agitou muito, mas curtiu o som dos caras até o fim, quem entrou pra vê-los não saiu mais. Destaque pro novo Vocalista, com uma boa presença de palco e as tradicionais "Pisadas Hardcore" no palco como quem dizia "Levanta a bunda daí e vem pogar seus molenga" ahahahhaha...

Em seguida, a banda que bate cartão nesse blog, Jhaspion! Mais uma apresentação empolgante do crossover dos caras (que algumas pessoas presentes achavam que se tratava de um Thrash Metal, tão pesado o som que os caras mandaram)... A música e sucesso do youtube "a noite dos mortos vivos" (um dos clips mais toscos e sangrentos dos últimos tempos) foi cantada por várias pessoas presentes... os caras estão firmando seu espaço, vai desacreditando, vai... e encerraram o repertório com um cover da "banda que faltava" no evento (eu quero mais é que se foda uahuahuahuhuaa - quanto ódio de si mesmo, garoto!), Pé Sujus. "Punk rock do suburbio" fez surgir uma grande roda de pogo nas dependências do galpão... dessa vez não deu pra Pé sujus tocar, mas numa próxima estamos aí...

Estado de Guerra ocupa o palco em seguida... Me lembro do "Descabaçamento" da banda em outubro de 2008, no mesmo galpão e organizado pelo mesmo idiota que vos escreve agora... Os caras tocaram uma seleção de covers Hardcore Punk que iam de Moderat Likvidation a Pé sujus (hahahahah sério mesmo), e foi uma apresentação que fez a banda ver a necessidade de maaaaais ensaios... tocaram outra vez em indaiatuba e pararam pra ensaiar. Neste meio tempo pararam por quase um ano para pegar firme nos ensaios, assim como a formação da banda mudou, virando um Trio que hoje é o Junior (Guitarra e voz), Felipinho (Baixo) e Vine (Batera). Como foi o "Re-descabaçamento" destes moleques Rawpunks desta vez? Uma Ejaculação sonora muito bem feita! Todo este tempo de ensaio fez muito bem pra banda, que agora está bem entrosada e fez uma apresentação que empolgou a Galera! O Vine toca muito, e ele não tem nem 15 anos. Continuem assim e vão pegar mulher pra caramba! ahahahha... e galgar um progresso cada vez maior na nossa cena Punk musical principalmente.

Depois a Kob 82 sobe ao palco... Dizer o que? Uma apresentação energética, que induziu o povo ao pogo constante em quase todas as músicas... Eles tem uma influência muito clara de GBH, Uproar, Discharge e outras bandas clássicas "UK 82" e são poucas bandas que fazem um estilo de som desse aqui em são paulo. A banda está muito bem ensaiada, com um som redondinho, deve ser a única banda de SP que toca Broken Bones e não sei o que deu no Vocalista Tatu que ele tava se mexendo sem parar no palco, já tava ficando com medo dele. E ele tem mó cara de menino inocente que gosta de rock ahahahahah

Colisão Social... Sem palavras pra descrever esta banda. Não é puxação de saco, mas na minha opinião em questão de Punk Rock bem feito, eles e a banda Coriza são as melhores ao vivo até o momento (Mas não superam esgoto em todos requisitos!). Os caras começaram a tocar por volta das 9 da noite... algumas pessoas tinham ido embora. Mas essa banda já é clássica no Movimento Punk de São Paulo, pois além da música eles também estão envolvidos em ativismo. O intervalo das músicas são marcados por discursos conscientizadores e inteligentes de Theo, um dos maiores ativistas da Zona Leste, que fez parte do lendário coletivo dos anos 90 Motim Punk. Eles mandaram ver um Punk 77 que chamou todo mundo pra dentro do Galpão formando uma das cenas mais lindas que já vi em toda minha trajetória como punk, observando-a sentado no cantinho do palco exausto de tanto trabalho naquele dia: Uma roda de pogo em que 80% das pessoas presentes (umas 90 )participavam, pulavam e cantavam sem parar, sem nenhuma treta, tudo na esportiva e com um sorriso no rosto. Não aguentei e fui ao microfone falar que cenas como aquelas que me faziam continuar fazendo o que faço pelo movimento PUNK, que lembranças como estas me dão forças e superam as adversidades que podem ser empecilhos para que eu mande todo mundo tomar no cu e me arrependa de ter feito tudo nesses 5 anos de organização de Gigs... Realmente Gratificante! A banda toda não parava no lugar, o theo tava bebaço, mas muito consciente... O Bruno, baixista, pulava e rodopiava com seu instrumento interagindo com eduardo que dançava pelo palco todo com sua guitarra e a bateria seca e precisa do Vela, Um dos melhores bateras do punk de SP. E lógico que o ponto alto foi o cover da banda Setembro Negro , "Leva pra 40", que os caras não aguentam mais tocar... mas mudam de opinião quando vêem o povo endoidando ao som desta música... enfim... memorável!

Saldo Final: Herdeiros do ódio não tocou, pois o guitarrista não pôde vir devido a um problema de saúde de sua companheira.Uma pena, queria muito Vê-los tocar... Treta? nenhuma! Só um atrito de dois caras que andavam juntos do lado de fora, mas que acabou logo... os dois se mandaram do som, ainda bem, pois eu já tô tão por aqui de treta que eu mesmo iria fazer o favor de mandá-los embora (mesmo que sejam camaradas... vão bater punheta que é mais gostoso). Não sei quem tá certo ou quem tá errado, na dúvida se resolvam ou vão arrumar um ringue pra resolver as diferenças (Mensalidade de Muay Thai não passa de 50 reais, meus filhos). Mas nada de Grave. Eu que tô virado no jiraia mesmo hahahhaa... E o público pagante foi suficiente pra trincar o valor devido á casa... aliás deu até 10 reais a mais, que virou cerveja pras bandas que insistiam em ficar ali até o fim. E lá se foi mais um som foda que me surpreendeu mais uma vez: Só gente boa e que sabia o que estava fazendo e onde estavam. Saí de lá podrãão. Mas, Missão cumprida! Dia seguinte era feriadão, o povo não queria ir pra casa. Mas o galpão tinha que fechar. Fui pra casa, pois o dia seguinte seria um Dia de Protesto!

sexta-feira, 28 de agosto de 2009

Spyke Punk Fest - Chácara em Santo antônio da Boa Vista, Jacareí/ SP - Dia 22/08/2009

Kob 82
Beer Class

Pogo!

Flyer do evento


Eita porra! A Partir de agora vocês não lerão um rewiew apenas, mas uma verdadeira "epopéia" mais conhecida como "Fazer role pro interior de uma forma mais barata e tortuosa". Sim, dá pra ir para a cidade de Jacareí (Região do vale do paraíba - a 78 Km de São Paulo) por Mogi das cruzes, pela Viação Breda por R$ 5,50 - Mais barato que pegar um Passaro Marron na rodoviária do Tietê (uns R$ 15 reais mais ou menos só a ida). Mas, vamos ao que interessa!

Este evento era uma festa de aniversário de um amigo meu, punk de Jacareí: Spyke! Em março se não me engano ele já estava falando nessa festa de aniversário com varias bandas numa chácara. Os meses foram passando, fui cobrando e ele confirmou de fato: Vai rolar mesmo! A princípio seriam poucas bandas, mas todo mundo queria participar desse evento... Uma festa Punk, numa chácara com piscina... Fecharam então: 12 bandas! Bandas de São Paulo e da região do vale, todas embalando essa festa/gig/sei lá... Chamando a galera daqui de Sampa, que não costuma sair nem pra ir comprar pão no mercado, fiquei surpreso com a empolgação da galera com esse evento, Longe pra caramba, numa cidade do interior no meio do nada (O bairro - Jacareí tem varios punks, bandas e infra-estrutura urbana). Daqui já foram varias bandas... Mas a galera surpreendeu! Falando desse evento, como ia ser, uma frase de um célebre pensador resume a reação da galera: "Topo, porque não? Vamu cair pra dentro" (Zina)

No dia do evento, Fui trabalhar de manhã e por volta das 16:30 o povo marcara de se encontrar na estação de trem do Brás (Centro). Chegando meio atrasado uns 10 minutos, nem metade da galera que ia estava lá. Ô Povo atrasildo viu! E tinha gente esperando a gente chegar ás 6 da tarde em mogi das cruzes, na estação Estudantes (de onde pegamos o onibus pra Jacareí). Por volta das 6 da tarde saímos do Brás em direção a estudantes... Uns 40 punks mais ou menos! A adesão foi forte! Dizer o quê? Os punks dominaram o trem! Zuando, cantando, bebendo, fazendo bexigas de camisinha, trocando ideias, namorando e etc... Uma cena memorável para ficar na memória! Os guardinhas "Corretores de conduta" nada puderam fazer ahahahaha... Calma Guardinha, a gente não morde! Por volta das 19:20 chegamos em Mogi/ Estudantes... Tinha mais umas 15 pessoas nos esperando! Cerca de uns 50, 55 punks fazendo o mesmo role, todo mundo junto... E Corre, Galera! 10 minutos para o ônibus sair! Só faltava chegar o baixista da Shit With Corn Flakes... Liga pro cara, ele ainda estava chegando. Orientei os caras da SWCF a esperar o colega de banda, pois o pessoal tava com pressa. Os ônibus suburbanos para jacareí costumam sair vazios de Mogi. Mas, numa cena Histórica, O ônibus LOTOU só de Punks... passageiros não punks eram uns 8 no máximo. Era tanta gente pra entrar no Coletivo, que deu tempo do Baixista da Shit... chegar e pegar o mesmo onibus conosco.

Mais ou menos 50 e poucos punks dentro de um ônibus, imagina a santa paz que reinou no coletivo: Dreher passando de mão em mão, Cantoria a altos brados (Um repertório vasto, que foi de É o Tchan! até Hino mortal, passando por Sergio mallandro e Psykóze hahahaha). Povo horrorizado com todos aqueles garotos e garotas feios, sujos e malvados, o cobrador com cara de ódio e o motorista pisando fundo no acelerador pra que jacareí aparecesse logo no plano de visão do horizonte e se livrar dessa molecada 666 que ia pro som! Foi histórico. Chegando na rodoviária de Jacareí, uns 25 punks aguardavam o ônibus, quando uns deles olham o ônibus lotado de punks de SP chegando e dizem: EEEEITA PORRA! Que cena Linda: Todo mundo descendo, numa verdadeira Invasão ao Interior, rumo á um rolê saudável e sem tretas, onde a união e a humildade prevalecem - Coisa de Interior, por isso que amo fazer rolê por ali. Enfim: Encontro vários amigos de jacareí no ponto de ônibus... Agora imagina: Se o Ônibus de mogi pra JAC já foi cheio, imagina as duas galeras juntas... Imagina um ônibus ficar uns 20 minutos parado num ponto só pros malakabados entrarem... Ficou pior que a superlotação do metrô de São Paulo: Todo mundo prensado sem espaço nem pra se mexer, com direito até a mosh de um cara que foi conosco nessa "Savagera". Lindo!

Chegando na Chácara, o povo foi se acomodando, pagando a entrada (caso dos homens) e o goró foi chegando aos poucos. Tinha de tudo: Cerveja (Evaporou - não bebi uma gota), Pinga cavalinho, Caldezano a rodo (Imitação de cortezano, que é imitação de contini), Dreher, Tinol (o velho e bom Hi-FI) e tranqueiras afins. Muita gente presente, de vários lugares: São paulo, ABC, Guarulhos, Mogi das Cruzes, Suzano, salesópolis, jacareí, Santa isabel, São josé dos Campos, Caçapava e outros lugares mais... Vamos ás bandas por nomes, pois eram (ou era pra ser) Muitas bandas...

Amnésia Coletiva: A banda que basicamente faz a cena de Jacareí acontecer, capitaneados pelo Fodástico Lecão (Se se candidatar a vereador ali ele ganha com recorde de votos ahahah) fez uma Apresentação impecável. Aqui em são paulo pouca gente conhece, mas praqueles lados ali, é uma das bandas mais conceiuadas. Eles já tem vários sucessos como: "Vida desgraçada" (essa cantada em coro pela galera - e esse que vos escreve na participação especial hehehe), "Santa Casa", "Enfia no Cu seu poder"... Um Punk Hardcore fudido que eu faço questão de puxar o saco e ficar babando ovo porque é bom mesmo! Conheci a banda tocando antes de Conhecer os integrantes em si, portanto não é "só porque são meus amigos". Puta Show

Beer Class: A Banda StreetPunk/Hardcore de santa isabel fez um show foda com seu hardcore potente, empolgando a galera ali presente. Como a banda é relativamente nova, seu repertório ainda não é conhecido por mim, ainda não há muitas gravações deles disponíveis. Mas recomendo que quando tiverem a oportunidade de assistir a esta banda ao vivo, que façam isso: Uma banda muito bem entrosada e ensaiada.

Reagir!! - A banda Punk/Hc de jacareí estava parada há um tempo, por falta de baterista e Vocalista (O antigo vocal se mudou pra Curitiba). Tinha um cara "Hard Rock" que ia quebrar um galho na Bateria e o Marcos (Guitarra) e o Gaúcho (Baixo) iriam se revezar no vocal. Mas o "baterista-estepe" tomou Caldezando demais, deu tres batidas na caixa e caiu duro no chão. Eles iriam continuar no jeito "Acústico", Mas Anjos existem e milagres acontecem: Apesar deste anjo ter o aspecto satânico e atender pela pessoa de Cesar (Guitarra Pé sujus e Voz/Guita Jhaspion). Os caras da Reagir acabaram fazendo um repertório de improvisãção de cover de clássicos do Punk nacional, levantando a galera que gosta de Cover. E mandaram uma propria com o Cesar na Bateria. Mandaram bem e marcaram presença!

Jhaspion: Mais uma apresentação foda desta banda de Crossover. A galera não conhecia muito, não agitou tanto, mas prestou bastante atenção no som dos caras. É a primeira vez deles no interior, fora da cidade de São Paulo.

Kob 82: Um showzão foda também desta banda que já está se destacando no cenario punk aqui de São Paulo. A galera agitou bastante e alguns covers de clássicos punk intercalados com os sons próprios ajudaram a manter a roda de pogo sempre constante

Pé Sujus: A segunda apresentação nossa em jacareí neste ano. O povo já estava podrão, meio "baleado", eu estava muito Bêbado (Cantando com uma Corote de limão no meu lado). Mas que som foda a gente fez! Apesar das falhas da caixa da Guitarra, o som foi bom e as pessoas que insitiam em ficar de pé curtiram e pogaram ao som da banda deste traste que vos escreve.

SWCF - Logo em seguida da Pé Sujus, entra a SWCF (eram umas 3 da manhã mais ou menos). Mandou o seu Harcore Violento Berrado pelo insano Canela, mas não pôde tocar o repertório todo. Problemas com aparelhagem. No meio do show deles, a Caixa de guitarra foi confiscada por seus donos e o som parou por ali.

Um detalhe: O Spyke fez uma correria atras dos equipos, mas não houve êxito. A Bateria era a unica coisa garantida, a caixa de voz/baixo teve que ser buscada na casa do gaucho, pois a banda que trouxe todos os equipamentos não estava muito a fim de disponibilizar os equipamentos pra galera. Deu 3 da manhã e viram que não iriam tocar naquele horário ainda (era só esperar a SWCF terminar o repertório), como tinham horario para cumprir e voltar pra casa, (combinado com o cara da van e tal), a caixa de guitarra foi levada e a banda se retirou. Uma pena. Haviam apenas mais duas bandas para terminar o evento num horario legal. Mas fazer o que né... É meio que uma cultura nesta região nas Gigs cada banda trazer seu equipamento pra tocar... Porém haviam muitas bandas de São Paulo, não havia mesmo como trazermos nossas paradas, ainda mais de busão.

Não tocaram:

Anarco-Treta e Atos de Vingança: Pelos motivos do paragrafo acima. Espero que da próxima vez o pessoal da Anarco-treta toquem... O evento estava aberto para todos tocarem, não tinha hora pra acabar e uma hora a mais, uma a menos, eles mesmos e a Atos de Vingança tocariam de boa. Foi uma pena ver a galera da Atos que veio de longe e chegou tarde ficar sem tocar, depois de tanto penar pra achar o som. Ninguem é obrigado a emprestar as paradas, aparelhagem era uma responsa do Spyke, que não houve êxito nesta missão. Mas já que as paradas ali estavam, não custava nada fazer a festa continuar acontecendo! Seria melhor do que já estava!

PSHC- Claudião, o Frontman e vocalista da banda teve que trampar nesta noite.

3º Mundo - O Baterista mais uma vez teve compromissos de força maior. Mas o Manteiga Compareceu mais uma vez, representando no Role.

Os muleque Horrível - Banda do Spyke... Ficaram tão horrível os muleque que mesmo que se tivesse a aparelhagem lá não iriam ter condições de tocar ahahahah... Toma caldezano na cabeça.

3 e pouco da manhã... De tudo já aconteceu: Dois sujeitos indesejáveis convidados a se retirar da festa; Gabriel da pé sujus e Gabriel da Fecaloma/Deturpados pulando na piscina só de cueca pra pegar pneumonia (estava um frio de lascar); Eu bêbado e bem acompanhado heheheh; Os quartos todos cheios (não é nada disso que vocês estão pensando - se bem que as luzes estavam apagadas né hahaha; Polícia dando rasante pra ver se conseguia acabar com a festa (o clássico exemplo de vizinho chato chamando os meganhas pra aquele "rock" acabar), mas não deu em nada; Alguns mais "bagunceiros" jogando baralho Copag na sala; Pessoas jogadas em todos os cantos da chacara, pensando na vida, se catando, bêbados...

Quase 5 da manhã: Hora de ir embora. Mas, que hora passa o ônibus? Uns diziam: 5 e meia. Spyke Jurava: 6 e pouco, depois já adiando pra 6:50 da manhã... Na dúvida, vamos pro ponto. 6 horas, 6 e meia... o dia nascendo... o Frio trincando nossos ossos. Atras do ponto tinha uma vasta área que dará lugar em breve a um empreendimento imobiliário... Muitos galhos de árvores, papel velho e outras coisas "queimáveis". Álcool em gel que o Canela levou com medinho da Influenza (AH1N1)... Sim, uma Grande fogueira foi acesa no meio daquela rua em que não tinha nada nem ninguem e que passou só um carro, que quando viu uma cena incomum naquele meio do nada: 50 punks na rua em volta da fogueira esperando õnibus parou ali mesmo e seus ocupantes ficaram em choque sem saber o que fazer, ensaiando uma marcha a ré, até que demos uns passinhos pra trás e eles puderam passar. Não mordemos, Gente! Tinha um tiozinho muito figura lá... Meio doido também... dizia ele que o ônibus passava ali, que já estava chegando... Nós, estranhos no meio do nada acreditamos. Deu 7 horas e NADA ainda. Havia uma estradinha que dava pra ver de onde estávamos, onde passava onibus toda hora. Decidimos então descer a ladeira e esperar o onibus uns quarteirões abaixo. Nem 5 minutos e o onibus apareceu. Chegamos quase 8 da manhã na rodoviaria de jacareí e o proprio onibus das 8 pra mogi foi tomado pela "pequena multidão punk" Desta vez, morta de cansada, silenciosa, sonolenta e de ressaca. Alguns ficaram de pé. Eu consegui um banquinho e babei até nos vidros hahaha. Enfim, descemos no centro de mogi, pegamos o trem sentido centro de São Paulo e minha jornada termina em Guaianazes. Já a galera que morava em outras regiões ainda teve muito chão pela frente. O sol brilhava, mas o caminho de casa ficava mais e mais longe... E lá se foi mais um Rolê no mínimo Histórico. Mas da próxima vez Spyke, faz os corres com mais responsa rapá. De resto, Feliz Aniversário kkkkkkkkkk...

domingo, 16 de agosto de 2009

Neurotikas Fest - Cesar bar, Itaim Paulista, São Paulo/SP - 09/08/2009


Atos De Vingança!
Pé Sujus!


Mais uma gig feita por este que vos escreve aconteceu, no dia 09/08/2009. Mais um dia acordando cedo, com muita correria, suor e imprevistos que exigem muito jogo de cintura de quem está á frente do evento. Neste caso, minha participação na organização do evento foi uma parceria com o Coletivo feminista Neurotikas, que teve a iniciativa do evento, com a finalidade de comemorar 1 ano de coletivo. Ainda bem que tinham mais 8 pessoas me ajudando, foi tudo mais fácil desta vez. Para quem não conhece, o Coletivo Neurotikas já tem 3 edições lançadas de seu fanzine, além de uma passeata realizada no dia 8 de março, dia internacional da mulher no centro de São Paulo e um Sarau feito em parceria com o Lutas libertárias e a seção Alto-Tietê da FOSP/COB-AIT, num bar em itaquaquecetuba. Ou seja, é um coletivo atuante dentro do movimento Punk, embora muitas pessoas não valorizem ou botem uma fé na capacidade das meninas, que realmente estão começando agora, mas diferente de muita gente que diz ter mais "discernimento" das coisas, elas Fazem alguma coisa! Daí o meu apoio incondicional, além da condição de "Muso" do coletivo (hahahahahahahahahahahahahaha).

Por volta das 10 da manhã, já estávamos no Cesar Bar arrumando as paradas: Limpando a sujeira deixada pelo pessoal que curtiu o "Pagode do Negralha" na noite passada, Dispondo os equipamentos que já estavam ali, colando os cartazes e faixas de cunho feminista e a bandeira anarcossindicalista, teve até bexigas pretas e roxas enfeitando o ambiente (alguns amigos nossos sacanearam as meninas, dizendo que parecia "Festa de escola" (hahaha). Faltavam algumas coisas principalmente em aparelhagem - iríamos alugar um equipamento, mas todos meus contatos estavam ocupados em virtude do "Dia dos Pais" (coisa que não existia há 50 anos atras mais ou menos, até que um projeto de lei foi aprovado e a data instituída pra "aquecer" o comercio - não sei vocês, mas meu pai eu honro nos 365 dias do ano). FUDEU! Em tese sim. Mas vamos arregaçar as mangas, porque as dificuldades não podem ser maiores que nossa iniciativa. Junto ás meninas do Coletivo, chegaram uns 5 punks virados do role do sábado... Eu arrumei tudo o que precisava, tinha que buscar na casa do Wagner (batera do Jhaspion e um grande amigo!), que ficava a uns 20 minutos a pé. As meninas se prontificaram a ajudar, mas quem andou embaixo do sol pra carregar peso foram os punks que chegaram cedo pra NÃO pagar a entrada hahahahha... Outro empecilho: Segurança. Maldito "Dia dos pais", ninguem queria revistar pessoas e segurar "punk" nervosinho. Mas acabou aparecendo um casal das proximidades do bar que deu conta do recado muito bem!

Corre daqui, remenda e improvisa dali... até que finalmente por volta das 14:30 a primeira atividade do evento começa: A exibição do vídeo "Acorda Raimundo, Acorda!". Este curta- metragem é uma troca de papéis: A mulher no papel do homem "machista e autoritario" e o homem como a parte "submissa" do casamento. Ou seja: Não faça e aja com os outros da forma que voce não gostaria que fizessem com você. Muito bom!

Em seguida, a primeira Banda: Defeito Anormal (ou DxAx). Mais uma vez no Cesar bar, apresentaram um repertório com varias covers, mas desta vez apareceram mais sons próprios. O bar ainda não estava lotado (põe no flyer que começa ao meio dia pro povo chegar as 4 da tarde), mas as pessoas que já estavam lá curtiram o som, com muita cerveja gelada na goela pra dar uma refrescada no calor que ajudava a abafar ainda mais o pequeno bar.

A segunda banda foi a The Pórres, Com um som influenciado por Johnny Cash, Psychobilly, Cachaça, diversão e uma pitadinha de punk rock (mas beeem de leve). Du Caraio! Foi legal ver o povo dançando ao som do the Pórres, uma banda que tem tudo pra se destacar no cenário rock'roll/ rockabilly independente. São uns caras bacanas e bem humildes! Apesar de uns punks de cabeça fechada ficarem com aquela cara de cú de cantinho questionando "o que raios esta banda ta fazendo aí". Este mesmo tipo de gente idolatra uma banda quando ela só faz cover...

A terceira banda foi Atos de Vingança! Uma das bandas que vem conquistando mais espaço e um público cativo dentro da cena Punk/HC, com uma bagaceira que me fez parar lá na finlândia. Só porrada, uma atrás da outra... Fazia tempo que não os via ao vivo, e eles levantaram bastante a galera presente, principalmente o pessoal que gosta de uma jaqueta arrebitada e camisas do Tampere SS (hahaha). Muito bom... O buteco foi abaixo!

Em seguida, A segunda parte da trilogia "porrada na orelha tudo num dia só". Violência Verbal! Uma banda nova, que não contou com a presença do baixista no Dia... Who Cares? Senta o Reio! Eu não vi direito essa banda, pois estava "ocupado" do lado de fora, mas a sonoridade dos rapazes é um Hardcore Brutal. Esta banda tem como vocalista o Maldito, que toca na Igualmente bagaceira Shit With Corn Flakes, além do Pedro na Batera e esqueci o nome do guitarrista. Bêbado maldito eu, viu!

A terecira parte da trilogia "porrada na orelha tudo num dia só" ficou por conta da próxima banda e uma das mais esperadas: Ódio Brutal, do ABC paulista, uma espécie de "Novo Ulster". Com nova formação, estreiando o novo baterista, tocaram um repertório curto com umas 9 musicas mais umas improvisações de mais algumas musicas pra que o som continue rolando, afinal o desgraçado do batera da minha banda ainda não tinha chegado!

Enquanto o desgraçado do Chu (Batera pé sujus) não chegava, uma banda anarkopunk presente no evento que não me recordo o nome fez uma participação especial, salvando o evento de certa forma naquele momento (não tínhamos aparelhagem suficiente pra fazer discotecagem). Até que por volta das 20:30, o chu aparece e finalmente pé sujus pôde começar a tocar.

Agora falando como integrante da banda: Encerramos o evento com um repertório relativamente novo: Uma música nova, duas covers no repertório e uma música que não tocamos há muito tempo complementando o repertório. O povo estava empolgado, agitando. Mas não tinha tanta gente como no começo do evento, mas as pessoas que ficaram até o fim viram um show nossoo que particularmente foi um dos melhores do ano. Só um bate-boca idiota que não deu em nada atrapalhou a roda de pogo, mas no final foi tudo resolvido na conversa (Ah, se fosse sempre assim eu estaria tãão feliz...).

Saldo final: Um evento lindo de se ver, com bastante gente, a paz reinante (até pessoas que tem fama de briguentas estavam na pura paz). A banda 3º mundo mais uma vez não pôde tocar por compromissos de força maior do baterista de novo (risos), mas o integrante Manteiga marcou presença. Muitos fanzines divulgados e distribuídos, inclusive a 3ª edição do fanzine do coletivo Neurotikas que foi lançado ali, além do jornal "A plebe" da FOSP/COB-AIT com farta distribuição também. Agradecemos mais uma vez: Sr. Cesar e Cleide, por liberar mais uma vez o espaço para a cultura punk/libertária; ás bandas que compareceram; e acima de tudo a cada um dos presentes que contribuiram para que o som rolasse na mais absoluta paz e união que tanto precisamos...


Para conhecer mais do trampo das Neurotikas, Acesse:




Chega por hoje, fiquem com Deus!

quarta-feira, 12 de agosto de 2009

Show da Banda 365 - C.C.J. Ruth Cardoso - Vila Nova Cachoeirinha, São Paulo/SP - 31/07/2009







Sexta feira é dia de beber varias depois de sair do trampo, de cabular aula na faculdade e de varios outros clichês de "Gente bonita e descolada que curte a night na maior vibe" (risos). E a última sexta feira de Julho foi lembrada por um show gratuito de uma das maiores bandas Punk/ Rock'n roll do Brasil... 365!

Sim, este cara aqui saiu mais uma vez da zona leste (voces já estão de saco cheio disso - tentarei escrever isso em outras palavras) numa sexta a tarde para o seu destino final: O show da 365. O espaço onde rolou o show foi o CCJ (Centro Cultural da Juventude) Ruth Cardoso, um espaço da prefeitura/ secretaria de cultura onde acontecem vários eventos culturais voltados para a juventude - De oficinas de teatro e dança a Filmes de terror no muro do cemitério em frente quando rola a virada cultural. O Show foi Gratuito e os ingressos foram disponibilizados uma hora antes da apresentação (que começou pouco depois das 20 horas). Deu tempo de tomar umas cervejas no barzão que tinha em frente com amig@s da região e meu "fiel escudeiro de shows do 365" , Eder.

Por volta das 20 hs uma fila ja se formava na porta do Anfiteatro do CCJ, para se acomodarem no mesmo para assistirem ao show. Punks, Góticos, Rockeiros "das antigas", gente que não sabia o que fazia ali... Gente de vários estilos aguardando o início de uma das mais clássicas bandas de rock do Brasil (Mas muita gente ali conhece a 365 como a banda que toca "São Paulo"). Até que, com cerca de uns 10 minutos de atraso (se não tem atrasos, não é punk hahaha) Sobe ao palco a tão esperada atração.

Já começaram metendo um "Nunca mais seremos os mesmos" na platéia, já chutando o balde com um puta clássico do mini LP "365" (1987). Mas o local ainda não estava totalmente cheio, se bem que boa parte do espaço estava ocupado por cadeiras... e o público foi em torno de umas 250 pessoas em média, este show apesar de ser no CCJ não teve a devida divulgação da secretaria de cultura no guia "em cartaz", onde todas atividades do CCJ são divulgadas. Tocaram "crianças", uma música presente nas coletâneas "1987-1997" e "1987-2007" (praticamente a mesma coisa), e que fez parte da primeira demo da banda. E o legal que o repertório é destrinchado com musicas de todas as épocas alternadamente. Mandaram ver 3 músicas novas (que não lembro o nome - cachaça maldita), que pelo que pude perceber é uma volta ás origens do 365, todas com a velha e boa pegada "rock de combate" ou como diz o vocalista Deedy "Uns punkão da hora" (risos). Tocaram também músicas do não muito divulgado album "Do outro lado do rio", mas tinha bastante gente cantando as já clássicas "Tietê", "Dança das mãos", "Manhã de domingo" (esta ultima ja velha conhecida, mas lançada mesmo só neste album) , mostrando que 365 é banda pra quem gosta e não pra quem apenas ouve rádio. E quem gosta, gosta de verdade.

Tocaram também "Cegos movimentos", "Não diga adeus", "Anos 70", "Berço Esplendido" Do album "Cenas de um novo país" (1989 - o melhor deles na minha Opinião) e devem ter tocado outras deste album, mas bêbado pra lembrar de algo é porre, porque dose ainda dá pra assimilar melhor as coisas (risos de novo). Do album "365" mandaram "Canção para marchar" - A primeira vez que os vejo tocando esse som ao vivo - "Way of life", "Fúria" e a música que boa parte do povo que estava lá aguardava (e pior que não enjoa) : "São Paulo", onde o público ficou responsável pelo refrão, entre outras que não digo o motivo porque mais uma vez estarei sendo repetitivo com minhas colocações hahaha. Tocaram um cover do Sex Pistols ("Pretty vacant" - Prefiro quando tocam cover de Clash, Ramones ou Dead Boys), e encerraram o show com "Grandola Vila Morena", com o público em cima do palco agitando e cantando junto com a banda - Aprende Cólera!

Saldo Final: Cerca de uma hora e 10 minutos de show, umas 20 musicas executadas. O Equipamento tava bom, dava pra ouvir tudo limpinho. A banda estava entrosada no palco, mas este show por ser mais intimista foi feito mais á vontade, houveram algumas escorregadinhas aqui e ali, mas quem se importa?Foi bom na minha opinião! O "Não tão novo assim" vocalista Deedy está mais solto e aos poucos vai mostrando que o espaço que conquistou no 365 está sendo bem ocupado, mas ainda há os saudosos do Finho. Pra mim os dois são bons hahaha. A Formação atual ainda conta com Ari Baltazar na Guitarra, Callegari no Baixo e O Velho de guerra que sempre esteve lutando pelo 365, Miro de Melo na batera.

Ah, só uma reclamação: Poderiam ter tocado "Por quanto Tempo"...

segunda-feira, 3 de agosto de 2009

Arte em S.J.C. (Cólera e Mukeka di Rato) - Hocus Pocus, São José dos Campos - 26/07/2009

Flyer do Evento
Pogo do Cólera

PSHC PORRA!


E lá vamos nós mais uma vez! Não existe fronteiras e frescuras de "ai, é longe" para este bandoleiro junkie que nos escreve! Desta vez o destino é o interior de São Paulo: A cidade de São José dos Campos (ou dos Punks), que tem uma cena Punk/ Rock'n roll já consolidada, com muitos shows e eventos quase todos fins de semana. Esta cidade receberia a visita das bandas Cólera e Mukeka di Rato (ES), na casa de shows Hocus Pocus (a melhor casa do vale do paraiba) num evento que era esperado por muita gente dali.



Daqui de São Paulo mesmo saiu uma van com uma galera que trampou na exposição de fanzines e venda de materiais, além de pessoas que estavam a fim de um rolezinho diferente destes daqui da metrópole (que o final infeliz você acompanha aqui mesmo nas postagens ou vendo com seus próprios olhos - risos). Aliás o evento contou com a presença de pessoas de cidades da região como Jacareí, Paraibuna e Caçapava, além da presença de uma galera do Sul de Minas Gerais (E tem gente aqui em SP que já fica mole só de pensar que tem que pegar onibus hahahaha)....



Os portões da Hocus Pocus se abriram por volta das 16:30, para a montagem dos Stands (Ou mesinhas) de exposições no ambiente externo da Hocus. Por conta da chuva, um risco iminente, Brigamos com uma tenda que foi trazida, mas não tinhamos a minima noção de como montar (risos)... resolvido o problema e montada a tenda, debaixo dela começaram a serem expostos os materiais para fazer a cabeça do povo funcionar: Livros, Muitos Fanzines, Muito material Do It Yourself de graça pro pessoal, além da venda de patches, bottons, cds, dvds, Vinis, Lanches Veganos... Sem falar na exposição de pinturas e desenhos por conta de artistas locais, enfim, bastante conteúdo pro pessoal ver que não se tratava só do "Show do Còlera".Este evento marcou ainda o Lançamento do Livro "Hoje é dia da revolução", e também houve a divulgação e distribuição do Livro/Produção D.I.Y. "Cadernos da Sarjeta", que já saiu há algum tempo e que se trata de uma coletanea de Poesias escritas por Punks, iniciativa de Theo (Colisão Social) e Ariel (Invasores de Cerebros/ Restos de Nada), este último presente no evento e responsável pela divulgação dos Cadernos da Sarjeta.



Bandas! Vamos ás Bandas! A primeira banda foi a Anarcotreta, de São José dos Campos. É uma banda nova, ainda em seus primeiros shows. Não há muito som próprio no repertório, ou seja: Não há muito o que dizer ainda.Bastante cover pras pessoas que lá estavam para prestigiá-los.



Em seguida a banda que deveria tocar como terceira na ordem: PSHC. Uma das bandas de Punk/HC mais fodas da região do Vale (e uma das mais antigas tambem). O Local ainda não estava lotado, como estava na hora da terceira banda em diante, mas na minha opinião foi a melhor banda da Noite (Fãs de cólera que me perdoem, mas...), fez a galera que ali estava agitar muito. PSHC faz um hardcore energético cantado com o coração pelo Vocalista Claudião, e contou ainda com a participação de outro 'Peso-pesado' da região, o Lecão do Amnesia Coletiva.



Depois no Palco (Era palco mesmo!), a banda Kacctus que Faz um hardcore basico, mas sem muitas novidades. Nestas horas a casa já estava lotada, mas o público não agitou muito o som, talvez porque o estilo do HC do kacctus não seja o tipo de som que a maioria das pessoas (leia-se Punks) estavam acostumados a ouvir. Mas esta banda vem se destacando aos poucos no cenário independente, e com maior divulgação no cenario Punk/HC podem ter mais adesão do público Punk nos proximos shows.



Em seguida, Mukeka di Rato! Dizer o que? Porrada na Oreia! Casa cheia, Público insano agitando e cantando os já Clássicos da Banda. Como estava meio ocupado na exposição de materiais, não deu pra sacar muito da apresentação deles. Mas pelo pouquinho que vi, foi mais um dos destruidores shows que eles fazem por aí...



Cólera! A grande atração da Noite sobe ao palco então para uma apresentação que muita gente ali chamou de "Histórica", "Perfeita". Eu já tive uma época em minha vida em que eu não dormia enquanto não ouvisse cólera. E Já vi shows Muito melhores deles. O Repertório foi calcado mais em músicas antigas, predominantemente dos álbuns "Tente mudar o amanhã" e "Pela paz em todo mundo", mas musicas de todas as épocas foram executadas. Aos poucos o público foi se dispersando (Uma leve impressão que tinha mais gente na hora do Mukeka di Rato) e a banda não estava com tanta empolgação frente a Lindas apresentações que eu já assisti deles. Mas, o povo que insistiu em permanecer na casa (ja passavam das 22:00 do domingo) agitou com toda vontade. Ou seja: A energia veio do Público, mas o Cólera não estava como o público (risos).



Terminado o evento, Saldo Final: Todo mundo satisfeito, com um monte de fanzines em baixo do braço, paz reinante no local (Ali há a valorização da cultura, diferente de alguns lugares onde os proprios punks destroem sua diversão e seu ativismo),boas bandas, sorrisos abertos, muita cerveja... Enfim, um evento excelente muito bem organizado pela Paty e a galera do ZiperZine e com a colaboração da Desalienarte e a produtora Unissonância. Parabéns pela iniciativa, e isso mostra que uma Gig Punk/HC não se faz apenas de bandas, mas de cultura em geral. Aguardamos novos eventos para que este blog possa testemunhar a difusão da cultura libertária dentro dos eventos!