segunda-feira, 13 de junho de 2011

Junho antifascista 2 – 04/06/2011 – plebe bar, Indaiatuba/São Paulo

Flyer do baguio! Depois se eu lembrar eu ponho as foto que eu achar...



Só porque eu falei que o interior tava meio parado no post Re-re-retrasado, acabei fazendo um rolê porreta no sempre igualmente porreta Plebe bar Indaiatuba há uns dias atrás... por acaso! Era um sábado qualquer que após o expediente fui para o centro de Sp ensaiar com o Pé Sujus e em seguida iria dar um tempinho no noise terror que estava rolando uma gig bem legal com bandas da baixada santista e discotecagem virando a noite com Sempre eles do Sp paranoia, para depois ir ao Aeroflith, a melhor balada Gótica de São Paulo, com meus parceiros de rockeragem do mal. Mas ao Chegar no Noise Terror, o Renato (que agora é baixista do kaos 64) me puxa pelo colarinho da camiseta e me intima a entrar na bendita da van. Relutei um pouco, mas já que não custou nada pra mim, me enfiei na superlotada van e fizemos um role simplesmente memorável!

A gig era organizada pelo renato em parceria com o Luciano, morador de Indaiatuba que sempre toma a linha de frente nos eventos punk ali organizados. Algumas horas na estrada e muitas, mas muitas, mas muitas voltas depois com a cabacisse do motorista que passava pelo mesmo local um monte de vezes, enfim chegamos pouco depois da meia noite no ótimo Plebe Bar, agora sob nova direção mas ainda sim um excelente point pra tomar umas geladas e tocar um som. O local já apareceu neste bendito blog há algumas postagens atrás na resenha do Deterioration noise grind festival. Ao chegar lá, um imprevisto devidamente reparado para a prevalescencia do bom senso no restante do evento: A primeira banda tocando. Até aí tudo bem... se não fosse um monte de gente dentro do som sem pagar entrada de R$ 7. Apesar de ser uma situação meio chata, o som foi interrompido e a galera colocada pra fora, voltando o som após todo mundo estar devidamente colocado do lado de fora e retornando ás dependências do bar após pagar a entrada, que era essencial SIM para o pagamento de despesas de transporte das bandas entre outras coisas.

Entre uma confusão e outra, o que caiu de gaiato no rolê acabou trabalhando na organização do som também: Elaborando o tempo de palco das bandas, cuidando do palco, Ajudando na portaria e carimbando os pagantes. Prova de que a união faz a força e que cruzar os braços só faz piorar as coisas. Mas vamos ao que interessa, as bandas!

Abrindo o evento oficialmente, por volta de Uma da Manhã, a banda Mephisto faz um show que mescla músicas próprias com muitos covers de bandas como ramones, zumbis do espaço, entre outras... Fizeram um show bem tocado e divertido que empolgou a galera que ia entrando aos poucos depois de reparado o erro da entrada livre que não era livre hehehe. Um ponto positivo é que no interior a galera lota o pico desde a primeira banda, e não aqui em são Paulo que o povo só quer saber de ver as bandas mais “de nome” e quem ta começando agora ou abrindo o evento toca pras moscas.

A segunda banda foi o Cegos Pelo ódio com seu hardcore podrera furioso bagaceira do capeta na tóra. Muito peso e velocidade em cerca de 10 minutos de caos total. Uma banda bacana retornando em grande estilo para os palcos sujos dos subúrbios de são Paulo e de onde mais for possível ver o show. Não vi a apresentação deles pois estava fazendo as vezes de porteiro do som enquanto o renato se esgoelava, mas como pude ver, o local estava cheio e todo mundo assistindo a banda.

Em seguida foi a vez de Ruído dependência, de Paulínia, que mandou ver um punk hc de repertorio curto devido não só a velocidade e curta duração das musicas, que nos levou de volta pros anos 80, como o vocalista Fernando tava meio savage de cachaça, mas segurou a bronca legal e fez um puta show bacana que até eu poguei (eu jurava que tava cansado).

Aproveitando a empolgação que o Ruido dependência me deixou de herança, Surge a penúltima banda da noite, a banda “surpresa” do flyer... E quer surpresa melhor que o Excomungados? Esta banda clássica fez os punks mais antigos sorrirem de orelha a orelha com a possibilidade de ver um grande nome do Punk nacional fazendo mais uma apresentação caótica naquela madrugada. E o show foi a pior bagaceira possível! Não foi tão caótico como o som de ferraz do pré manifest 2, mas foi dantesco! E no baixo (desligado), Euzunho da silva fazendo pose, caras e bocas e backing vocal. O repertorio também foi curto mas foi eficaz.

E encerrando a noite a banda mais esperada, que abarrotou o espaço de pogo da galera: Kaos 64! Foram 25 minutos de pura Pancadaria, Tosqueira, Cotoveladas e barulheira de primeira que é a melhor banda de Hardcore dos Anos 80 na ativa. Só preciosidades como “Filhos da nação”, “rampa do Planalto”, “Guerreiros Suburbanos”, “Palco Maldito”, “Tietê”, Molecada... Só porrada! Fazia tempo que não descia “socos pacíficos” nas costas alheias! Simplesmente Perfeito! Kaos 64 conta além de Nivaldo e Renato com Pedrinho (também do agrotóxico) na bateria e Vinicius “Primo” na guitarra. Formação nova mas que promete continuar o kaos por aí por muito tempo!

A banda Esgoto, apesar de estar presente no flyer, não foi. Como eu conheço MUITO BEM os caras da banda, acho que não houve uma comunicação adequada na hora do convite á banda. Em 7 anos de shows que organizo o esgoto não faltou em nenhum. Isso se chama colocar a banda no flyer sem confirmar! E sem falar da ajuda de custo pros caras irem tocar, afinal Indaiatuba é longe...

Saldo Final: Nenhuma briga, Nenhuma encheção de saco, nenhum atrito, só gente boa, meninas bêbadas, Meninos embriagados, Stands de materiais bem variados do Xines do excomungados e da Distro da região, a Wolfgang Distro, que além dos materiais punk e metal também vendia um rango vegan que prestava (a deliciosa Samosa de Strogonoff de Soja, Bem servida e apenas 3 reais). Eram 4 e meia da manhã e estávamos longe de casa, portanto, não restou outra escolha a ir embora para nossas casas nesta Maldita cidade que tenho raiva cada vez mais que vou ao interior...

Um comentário:

  1. Fernando Santos [F.R.S.]13 de junho de 2011 23:42

    porra feio, "o vocalista Fernando tava meio savage de cachaça" ahahahaahah... ai tu me queimou ahahahaa.
    foi foda mano, eu bebi velho barreiro sem ter comido nada... me deu vontade de vomitar, falta de ar e tontura.. tava osso..
    mas msm assim deu pra tocar alguma coisa.
    E seu maldito, chama a Ruído pra tocar ae em SP mano! tamo procurando novos espaços! A gente vai na boa vontade e amor ao Punk Rock!
    O role lá foi firmeza, valeu manolo!

    ResponderExcluir